A Semana Santa de Braga é o tema do próximo Itinerarium

A Semana Santa de Braga é o tema do próximo Itinerarium numa visita à Cidade Vivida.

 

“A Semana Santa de Braga” é o tema do próximo Itinerarium, que vai decorrer a 23 de Março, pelas 10h00, tendo como ponto de encontro o Palácio do Raio. Inserida na temática da “Cidade Vivida”, a visita guiada será orientada pela Coordenadora do Centro Interpretativo das Memórias da Misericórdia de Braga, Manuela Machado.

 

A participação é de entrada livre, mas os interessados deverão efetuar a sua inscrição através de cmbcultura.eventbrite.com.

 

Nesta jornada pelo património bracarense será abordada a participação da Misericórdia de Braga nestas solenidades maiores do calendário litúrgico católico, em particular na organização da procissão do Senhor “Ecce Homo”, uma das mais imponentes da Semana Santa de Braga. Através da visita guiada que terá como ponto de partida o Palácio do Raio, os participantes terão oportunidade de apreciar algum património móvel secular ligado a esta prática, seguindo depois para a igreja da Misericórdia, não deixando de abordar a história dos icónicos “farricocos”, personificação dos penitentes que ao longo dos séculos integraram esta manifestação.

 

O Itinerarium é uma iniciativa promovida pelo município de Braga em parceria com a Universidade do Minho, para a promoção do conhecimento do património bracarense, dividindo-se em 4 eixos temáticos: cidade perdida, cidade recordada, cidade vivida e cidade experimentada. No programa de visitas e sessões de história local que decorre até ao final do ano prevê-se o conhecimento de espaços, monumentos, tradições e temáticas diversas da História bracarense.

 

Refira-se que o projeto conta com a curadoria científica da Doutora Maria Marta Lobo de Araújo, docente do Departamento de História do Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho

Programa 2024 apresentado hoje

A apresentação pública do programa da Semana Santa para 2024 decorreu hoje, 7 de fevereiro, das 11h às 12h, na sacristia-mor da Sé Catedral de Braga.

 

Transcreve-se em seguida a alocução proferida pelo Presidente da Comissão da Quaresma e Solenidades da Semana Santa de Braga, reverendo cónego Avelino Marques Amorim:

 

“Tornamos hoje oficial o programa das celebrações da Quaresma, Semana Santa e Páscoa em Braga, a mais antiga e significativa celebração da Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo em Portugal, que vem sendo preparado há já alguns meses pela Comissão da Quaresma e Solenidades da Semana Santa. Um programa que manifesta a nossa responsabilidade enquanto parte integrante do Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial, como membro fundador da Rede Europeia de Celebrações da Semana Santa e Páscoa, bem como a declaração de Interesse para o Turismo pelo Turismo de Portugal, a Medalha Municipal de Mérito, Grau Ouro, procurando sermos justos e gratos ao património religioso e cultural herdado, assim como de abrir caminhos de futuro com a dignidade que a Semana Santa em Braga nos merece.

 

As celebrações da Catedral, o Lausperene Quaresmal, as procissões e expressões da fé, continuam a merecer a primeira atenção, como celebração dos mistérios da Paixão da Morte e da Ressurreição do Senhor. A partir daqui, procuramos construir um programa cultural e de dinamização local, que predispõe e prepara convenientemente todos e cada um daqueles momentos.
Como podem verificar pelo material disponibilizado, em suporte material e digital, voltamos a apresentar um programa vasto e de excelência, quer nos concertos realizados – e permitam que sublinhe o grande concerto de terça feira santa na Sé Catedral, pela Orquestra e Coro do Distrito de Braga com a execução de três obras: Caminhos – dor, luz e esperança (Sofia Sousa Rocha); Miserere (João Evangelista Pereira da Costa); Lux Aeterna (Morten Lauridsen).

 

Há também todo um leque diversificado de manifestações religiosas, de práticas devocionais, de eventos culturais, e de animação local, que nos permitirão vivenciar, de forma intensa e profunda, a Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo.

 

Este ano, continuamos a aproximar-nos das gerações mais jovens, como mostra a primeira obra do concerto referido, assim como o 3º Concurso Escolar “A Semana Santa de Braga” para as escolas do ensino básico; a participação dos colégios na procissão de sexta feira santa; a animação de rua pela Associação Project’Art.

 

Ainda na juventude, haverá este ano, pela primeira vez, um momento de oração na Igreja de São Lázaro, na noite do Domingo de Ramos, para os jovens da Arquidiocese de Braga, orientado pelo Departamento da Pastoral de Jovens. Com a Escola Profitecla, protocolamos a colaboração dos seus alunos na divulgação do nosso programa, bem como o apoio informativo aos nossos visitantes pelo espaço de duas semanas (18 a 30 de março).

 

Estamos também a dar os primeiros, mas significativos, passos para que o Centro Interpretativo, enquanto espaço museológico também, possa acontecer muito em breve. Neste momento, com a colaboração do Cabido e do Museu Pio XII, temos já o espaço definido: a Torre Medieval, também conhecida por Torre de Santiago. Não será para este ano, uma vez que é necessário proceder à recolha de materiais, e definir a museografia do espaço. Mas esperamos proceder à sua inauguração e abertura na Páscoa de 2025 ou muito próximo desta data. Tudo para que, quem visita Braga fora do arco temporal da Semana Santa, possa conhecer e experienciar a forma como esta data é celebrada em Braga por excelência.

 

Concluindo, a Quaresma, Semana Santa e Páscoa de Braga assumem uma importância já de todo reconhecida para a cidade e para a região, pelo impacto turístico, económico e social que tem proporcionado. Tudo isto em consonância com o impacto religioso e espiritual, pela forma como nos permitem viver e celebrar este período central da fé e da liturgia cristãs. Um programa só possível graças ao contributo e empenho das instituições promotoras, dos parceiros que nos apoiam, e da participação de tantas pessoas que nos oferecem a sua colaboração. Em nome da Comissão da Quaresma e Solenidades da Semana Santa de Braga a todos o nosso muito obrigado, nomeadamente a vós, aos órgãos de comunicação social, que tendes tomado um papel significativo na divulgação do nosso programa e da vivência da Quaresma e Páscoa em Braga.”

Artesanato na Rede Europeia

A Rede Europeia de Celebrações da Semana Santa e Páscoa realizou várias atividades para realçar o valor do artesanato através da sinalização de oficinas de artesanato e da elaboração de um guia.

 

A Rede Europeia de Celebrações da Semana Santa e Páscoa tem desenvolvido várias atividades para chamar a atenção das oficinas de artesanato nas cidades que integram a Rede.

 

Por um lado, implementou sinalética própria nas oficinas que lhe estão associadas. No total, foram identificados cinquenta espaços onde se colocou um selo autocolante com o logótipo da Rede Europeia. Este selo tem um código QR que remete para um guia onde se pode obter informação mais pormenorizada sobre o artesanato e suas manifestações contemporâneas na Rede Europeia.

 

Os espaços de artesanato localizados nos municípios dos países membros da Rede Europeia, incluem oficinas de bordado, madeira, tambores, escultura, ourivesaria, talha, alfaiataria, pintura, entre outros.

 

Este é mais um passo para dar visibilidade a todas estas oficinas que fazem parte desta rede e cujo trabalho é realizado durante todo o ano, sendo, em alguns casos, um sector de importância económica nos respetivos municípios. Graças a esta sinalética, valoriza-se todo um conjunto de recursos que fazem parte do legado tangível e intangível relacionado com as tradições ligadas à Semana Santa.

 

Guia “O artesanato e suas manifestações contemporâneas”

 

A Rede Europeia também elaborou um guia com o objetivo de dar visibilidade às oficinas de artesanato que, herdeiras deste património, continuam em atividade e são peça fundamental na preservação do património. Estas oficinas estão abertas e podem ser visitadas ao longo de todo o ano, mostrando e promovendo as tradições da Semana Santa.

 

Estas tradições estão intimamente ligadas à criação artística e artesanal dos respetivos territórios. O artesanato é, hoje em dia, uma arte fruto da história que preserva o trabalho manual num mundo maioritariamente industrializado, cujas oficinas têm, ao longo dos séculos, legado um património material que dá forma e idiossincrasia às várias formas de celebração da Semana Santa.

 

São, portanto, um património ainda vivo e que marca as várias celebrações e as suas particularidades que, em alguns casos, evoluíram ao longo do tempo dando origem a manifestações artísticas contemporâneas. Bordados, esculturas, peças de ourivesaria, vestuário, ou instrumentos musicais são apenas alguns exemplos de um vasto catálogo que difere de região para região.

 

Pode consultar o documento aqui.

 

O artesanato na Rede Europeia

A RECESSAP inclui, entre as suas linhas de atuação, a valorização das tradições artesanais ligadas às celebrações da Semana Santa. Em resultado disso, às ações recentemente realizadas junta-se a desenvolvida no mês de maio do ano transato que incluiu um programa de intercâmbio para mais de vinte jovens europeus oriundos de Espanha, Turquia, Roménia, Sérvia, Croácia, Itália, Dinamarca e Eslovénia.

 

 

 

Mais sobre a Rede Europeia

A Rede Europeia de Celebrações da Semana Santa e Páscoa foi criada em 2019 e dela fazem parte da Fundação Italiana Federico II, representando os municípios de Palermo e Caltanissetta, da Sicília, Itália; o município de Birgu, em Malta; a Comissão de Quaresma e Celebrações da Semana Santa, em Braga, Portugal; as representações da Paixão de Cristo em Skofja Loka, Eslovénia; os municípios que fazem parte da rota Caminos de Pasión: Alcalá la Real em Jaén, Baena, Cabra, Lucena, Priego de Córdoba e Puente Genil em Córdoba e Carmona, Écija Osuna e Utrera em Sevilha. Também dentro da geografia espanhola encontramos Orihuela em Alicante; Lorca em Múrcia e Viveiro em Lugo.

 

Esta Rede tem como objetivo promover e divulgar o património cultural, tanto material como imaterial, relacionado com as comemorações da Semana Santa e da Páscoa, através de ações que valorizem este património, promovam o desenvolvimento turístico sustentável e contribuam para a salvaguarda do património imaterial através de trabalhos científicos e de investigação. Da mesma forma, o seu principal objetivo é unir forças e sinergias para consolidar um modelo de estudo, salvaguarda e divulgação do património das tradições da Semana Santa e da Páscoa na Europa.

A Rede Europeia encerra o ano de 2023 com a incorporação de três novos associados

Durante os últimos meses a Rede Europeia trabalhou intensamente nos processos para formalizar a adesão de Idanha-a-Nova e Ovar em Portugal e Jelsa, na ilha de Hvar, na Croácia. Com esta incorporação a Rede Europeia passa a contar com um total de 21 cidades pertencentes à Croácia, Eslovénia, Espanha, Itália, Malta e Portugal.

 

Os três novos membros juntam-se a todos aqueles que, desde 2019, já integravam a Rede Europeia e que são eles a Fundação Italiana Federico II, representando os municípios de Palermo e Caltanissetta, da Sicília, Itália; o município de Birgu, em Malta; a Comissão de Quaresma e Celebrações da Semana Santa, em Braga, Portugal; as representações da Paixão de Cristo em Skofja Loka, Eslovénia; os municípios que fazem parte da rota Caminos de Pasión: Alcalá la Real em Jaén, Baena, Cabra, Lucena, Priego de Córdoba e Puente Genil em Córdoba e Carmona, Écija Osuna e Utrera em Sevilha. Também dentro da geografia espanhola encontramos Orihuela em Alicante; Lorca em Múrcia e Viveiro em Lugo.

 

Idanha-a-Nova (Portugal)

No Município de Idanha-a-Nova ainda existem tradições da Quaresma e Semana Santa, apesar, de ao longo das últimas décadas muitas terem já desaparecido em algumas das regiões do interior de Portugal. O grande contributo para a continuidade destas tradições deve-se ao empenho das nove Misericórdias existentes no Concelho, assim como, à acção de párocos e leigos.
Durante a Quaresma a Semana Santa e Páscoa, são notáveis as manifestações e expressões de devoção popular que se realizam ao ar livre, como as tradicionais procissões dos passos, o Encontro de Jesus com Sua Mãe, Enterro do Senhor e Ressurreição. Também nos locais sagrados decorrem outros rituais, como o Canto das Almas, Canto dos Martírios, Letanias, Sagrada Paixão, Nossa Senhora das Dores e inclusive as representações cénicas de Nosso Senhor, dos Apóstolos, Descida da Cruz, Maria Madalena, Sermão do Senhor Crucificado, a Verónica, as três Marias e os Santos Passos.

Mais informação aqui.

 

Ovar (Portugal)

A Quaresma na cidade de Ovar é marcada por várias manifestações de fé e expressões culturais. As procissões quaresmais foram introduzidas no inicio do século XVII e realizam-se devido ao trabalho desenvolvido pela Irmandade de Nosso Senhor dos Passos e da Ordem Terceira de S. Francisco. Nos dias de hoje continuam a apresentar-se como um património vivo e cheio de tradição, conservando procissões originais e de grande beleza, não só pela sua antiguidade, mas também pelo modo como as populações as vivem e sentem.
No ano de 2022 foi criada a Comissão de Solenidades da Quaresma e Semana Santa de Ovar, constituída pela Paróquia de S. Cristóvão, pela Irmandade de Nosso Senhor dos Passos, pela Ordem Terceira de S. Francisco e pelo Município de Ovar. Esta Comissão tem por missão organizar e promover o programa religioso e cultural da Semana Santa de Ovar.

Mais informação aqui. 

 

Jelsa (Croácia)

A veneração da Cruz tem uma longa tradição em Hvar, assim como, a Procissão `Za Krizen` estão vinculadas à revolta de Hvar e ao evento milagroso que ocorreu em 1510. A revolta de Hvar foi uma rebelião popular organizada por Matij Ivanic contra a nobreza com o objectivo de dar ao povo uma participação no poder da Comuna de Hvar. A rebelião estendeu-se por toda a ilha e durou quatro anos. No século XVI, o povo e a nobreza privilegiada, eram as duas principais classes sociais da ilha.
A tradição da Procissão de `Za Krizen` em Hvar realiza-se uma vez por ano desde há 500 anos. Esta tradição foi declarada Património Imaterial da Humanidade em 2029. Desde a Idade Média que as confrarias se ocupam das devoções religiosas da população e têm desempenhado, até aos nossos dias, um papel fundamental na organização da Procissão `Za Krizen`. Na noite de Sexta-feira Santa, após os rituais litúrgicos que decorrem no interior das igrejas, a Sagrada Eucaristia é levada em procissão sob um baldaquino pelas paróquias de toda a ilha de Hvar

Mais informação aqui.  

 

 

Mais sobre a Rede Europeia

Esta Rede tem como objetivo promover e divulgar o património cultural, tanto material como imaterial, relacionado com as comemorações da Semana Santa e da Páscoa, através de ações que valorizem este património, promovam o desenvolvimento turístico sustentável e contribuam para a salvaguarda do património imaterial através de trabalhos científicos e de investigação. Da mesma forma, o seu principal objetivo é unir forças e sinergias para consolidar um modelo de estudo, salvaguarda e divulgação do património das tradições da Semana Santa e da Páscoa na Europa.

II edição dos “Dias da Rede Europeia de Celebrações da Semana Santa e Páscoa”

A Rede Europeia celebra de 1 a 15 de Outubro de 2023 a segunda edição dos “Dias da Rede Europeia de Celebrações da Semana Santa e Páscoa. Dada a boa aceitação da iniciativa no ano passado, em 2023, o período de celebrações decorrerá ao longo de quinze dias em vez de apenas dois.

 

Esta iniciativa, promovida pela própria Rede Europeia, tem periodicidade anual e dá a conhecer os valores culturais materiais e imateriais da Semana Santa fora da sua época celebrativa, para além de diversificar a oferta turística e cultural entre a população local e visitante de cada cidade.

 

Durante os dias em que decorrerá, cada cidade membro da Rede, apresentará cerca de trinta atividades que decorrerão em simultâneo nos espaços aderentes da iniciativa. Da programação constam visitas orientadas e visitas gratuitas a museus, visitas a ateliers de arte sacra e de criação artística contemporânea, concertos, degustação de gastronomia típica.

 

Toda a programação pode ser consultada no sítio oficial.

 

 

 

Mais sobre a Rede Europeia

A Rede Europeia de Celebrações da Semana Santa e Páscoa foi criada em 2019 e faz parte da Fundação Italiana Federico II, representando os municípios de Palermo e Caltanissetta, da Sicília, Itália; o município de Birgu, em Malta; a Comissão de Quaresma e Celebrações da Semana Santa, em Braga, Portugal; as Representações da Paixão de Cristo em Skofja Loka, Eslovénia; os municípios que fazem parte da rota Caminos de Pasión: Alcalá la Real em Jaén, Baena, Cabra, Lucena, Priego de Córdoba e Puente Genil em Córdoba e Carmona, Écija Osuna e Utrera em Sevilha. Também dentro da geografia espanhola encontramos Orihuela em Alicante; Lorca em Múrcia e Viveiro em Lugo.

 

Esta Rede tem como objetivo promover e divulgar o património cultural, tanto material como imaterial, relacionado com as comemorações da Semana Santa e da Páscoa, através de ações que valorizem este património, promovam o desenvolvimento turístico sustentável e contribuam para a salvaguarda do património imaterial através de trabalhos científicos e de investigação. Da mesma forma, o seu principal objetivo é unir forças e sinergias para consolidar um modelo de estudo, salvaguarda e divulgação do património das tradições da Semana Santa e da Páscoa na Europa.

RECESSAP promove intercâmbio para jovens europeus

A Rede Europeia de Celebrações da Semana Santa e Páscoa promovem um intercâmbio para jovens europeus sobre artes relacionadas com a Semana Santa.
A Rede Europeia de Celebrações da Semana Santa e Páscoa está a promover entre os dias 23 e 28 de Maio um projecto de intercâmbio cultural inserido no programa Erasmus+ no qual participam cerca de trinta jovens de Espanha, Turquia, Roménia, Sérvia, Croácia, Itália, Dinamarca e Eslovénia.

 

Com a denominação de “Paths4Crafts: Cultural entrepeneurship”, o projecto decorrerá em Priego de Córdova e inclui visitas a ateliers e oficinas de artesãos de Cabra, Lucena e Utrera. Trata-se de um projecto de mobilidade para jovens no âmbito da acção 1 do Programa Erasmus+.

 

Os intercâmbios culturais e educativos entre jovens assumem um papel muito importante na Rede Europeia, pois proporcionam a partilha de cultura e conhecimentos dentro da Rede. Este programa tem por intuito fomentar a colaboração entre profissionais da área da cultura através da realização de actividades baseadas na educação não formal e criação de redes, impulsionar o debate e o intercâmbio numa perspectiva multidisciplinar e intercultural entre as diversas expressões culturais e artísticas em vários países europeus.

 

Este projecto dirige-se a jovens interessados em ampliar a sua formação em arte sacra e outras artes relacionadas com a Semana Santa e Páscoa. O programa inclui espaços para o intercâmbio de boas práticas, oficinas de partilha de tradições e visitas a ateliers de profissionais.

 

Nas visitas programadas no âmbito deste projecto, os jovens terão oportunidade de visitar na cidade de Utrera o atelier de Bordados de Imaculada García-Rayo e o atelier de escultura de Encarnación Hurtado, assim como, o atelier do pintor e criador de audiovisual Antonio Ledesma. Na localidade de Cabra vão à oficina de cera Lama e, finalmente, à oficina de ourivesaria Gradit em Lucena. Os jovens também terão oportunidade de conhecer as tradicionais festividades dos domingos de Maio de Priego de Córdova.

 

Ainda integrado no programa terão lugar ateliers, que através de trabalho em grupo, terão por fim a elaboração de um documento de boas práticas para promoção das artes tradicionais a ser aplicado a todos os países participantes.

 

Igualmente, os jovens partilharão experiências, vivências e características da Semana Santa e Páscoa das suas regiões e desenvolverão dinâmicas para avaliar, reflectir e debater sobre os aspectos deste intercâmbio com o fim de melhorar projectos futuros.

 

A finalizar o programa, será apresentado e entregue a todos os participantes o documento de boas práticas que ficará como resultado deste intercâmbio e instrumento de reconhecimento europeu dos resultados de aprendizagem adquiridos em projectos do programa Erasmus+.

 

 

Mais sobre a Rede Europeia
A Rede Europeia de Celebrações da Semana Santa e Páscoa foi criada em 2019 e dela fazem parte da Fundação Italiana Federico II, representando os municípios de Palermo e Caltanissetta, da Sicília, Itália; o município de Birgu, em Malta; a Comissão de Quaresma e Celebrações da Semana Santa, em Braga, Portugal; as representações da Paixão de Cristo em Skofja Loka, Eslovénia; os municípios que fazem parte da rota Caminos de Pasión: Alcalá la Real em Jaén, Baena, Cabra, Lucena, Priego de Córdoba e Puente Genil em Córdoba e Carmona, Écija Osuna e Utrera em Sevilha. Também dentro da geografia espanhola encontramos Orihuela em Alicante; Lorca em Múrcia e Viveiro em Lugo.
Esta Rede tem como objetivo promover e divulgar o património cultural, tanto material como imaterial, relacionado com as comemorações da Semana Santa e da Páscoa, através de ações que valorizem este património, promovam o desenvolvimento turístico sustentável e contribuam para a salvaguarda do património imaterial através de trabalhos científicos e de investigação. Da mesma forma, o seu principal objetivo é unir forças e sinergias para consolidar um modelo de estudo, salvaguarda e divulgação do património das tradições da Semana Santa e da Páscoa na Europa.

Concurso de fotografia no Instagram (RECESSAP)

A Rede Europeia de Celebrações da Semana Santa e Páscoa está a promover o I Concurso de Fotografia de Instagram da Semana Santa 2023.

 

O concurso tem por objectivo que os participantes mostrem através da fotografia, as tradições destas celebrações vividas nas várias cidades que integram a Rede Europeia.

 

Todos aqueles que pretendam participar, devem publicar na Rede Social Instagram, fotografias que mostrem a Semana Santa da Rede Europeia, nas suas expressões cultuais, culturais, sociais, ou, outras, que revelem as tradições destas celebrações.

 

Apenas serão aceites as fotografias das cidades que integram a Rede Europeia: Palermo e Caltanissetta, na Sicilia; Birgu, em Malta; Braga, em Portugal; Skofja Loka na Eslovénia; Alcalá la Real, Baena, Lucena, Priego de Córdoba e Puente Genil, Carmona, Écija Osuna, Utrera, Orihuela, Lorca e Viveiro, em Espanha.

 

O concurso decorrerá entre os dias 2 e 9 de Abril de 2023.

 

 

O regulamento do concurso pode ser consultado na página da Rede em www.holyweekeurope.com

Oficinas artísticas 2023

Inserido no programa das Solenidades da Quaresma e Semana Santa de Braga será realizada a atividade “Oficinas Artísticas sobre a Semana Santa de Braga”.

 

Trata-se de um conjunto de oficinas sobre o património imaterial da Semana Santa de Braga. As oficinas decorrerão durante os dias 3, 4 e 5 de abril, entre as 10h00 e as 13h00, no edifício do gnration.

 

As “Oficinas Artísticas sobre a Semana Santa de Braga” têm por objetivo a recolha de materiais, experiências, revisitar as tradições e lembrar costumes antigos, como os hábitos, os aromas, a alimentação, e outros momentos que vivemos durante o período da Quaresma e parte desta importante celebração. O trabalho desenvolvido nas oficinas, onde as pessoas poderão partilhar as suas vivências da Semana Santa, terão por fim a montagem de uma instalação final a apresentar no CIMMB (Palácio do Raio), entre os dias 08 a 15 de Abril.

 

Dias: 3, 4 e 5 de Abril
Local: Edifício do gnration (Campo da Vinha), Praça Conde de Agrolongo, n° 123, 4700-312 Braga
Horário das oficinas: 10h-13h
Perfil dos participantes: público geral a partir dos 6 anos – grupos geracionais de famílias; utentes de lares; universidade sénior; outras instituições
Limite de participantes por sessão: 15/20pessoas

 

As oficinas são gratuitas e os participantes podem inscrever-se num ou mais dias de oficinas.
Email para inscrições: comissao@semanasantabraga.com

Termina com êxito o II Congresso Europeu da Semana Santa organizado pela RECESSAP

  • Com o título “Do Local ao Universal”, realizou-se em Palermo nos dias 2 e 3 de Março de 2023
  • Participaram 13 conferencistas de Itália, Espanha, Eslovénia e Roménia, com 21 comunicações ao longo de quatro sessões. Assistiram mais de 80 pessoas em formato virtual e presencial
  • Esta edição centrou o estudo sobre a Semana Santa a partir das tradições e as vivências locais, tendo por base áreas universais como a educação, as relações intergeracionais, a coesão social, a economia e a arte
  • Esta edição foi organizada pela Fundação Frederico II de Sicília (Itália), sócia da Rede Europeia das Celebrações da semana Santa e Páscoa

 

A Rede Europeia de Celebrações da Semana Santa e Páscoa realizou com êxito o seu II Congresso Europeu de Semana Santa. Tendo por título “Do Local ao Universal”, decorreu nos dias 2 e 3 de Março no Palácio Real e Oratório de Santa Helena e Constantino em Palermo, Sicília (Itália).

Organizado pela própria Rede Europeia em colaboração com a Fundação Frederico II de Sicília (Itália), sócia da Rede Europeia, esta edição do Congresso realizou-se pela primeira vez em formato presencial e contou com 13 conferencistas de Itália, Espanha, Eslovénia e Roménia, num total de 21 comunicações ao longo de quatro sessões. Assistiram mais de 80 pessoas em formato virtual e presencial. Também marcaram presença os representantes do Ministério da Cultura de Itália e de Espanha, da UNESCO, assim como, o Presidente da Rede Europeia e da Fundação Frederico II.

 

As jornadas, cujo Comité Científico é presidido pelo professor Ignazio Buttitta e Júlio Grande, foram organizadas a partir de conferências e mesas redondas compostas por especialistas em diferentes áreas. Das conclusões, o Comité Científico destaca:

 

  1. As celebrações da Semana Santa e Páscoa formam um rico repertório do património cultural imaterial europeu. Encontram-se amplamente distribuídas pelo continente europeu mantendo, na actualidade, uma forte presença no território.
  2. As comunidades onde se inserem as celebrações são a chave para a preservação deste rico património, assim como, são as depositárias e continuadoras das tradições.
  3. As celebrações da Semana Santa são um património vivo e em contínua adaptação. As adaptações por que passam são também elas o garante da sua continuidade. Neste sentido, o papel das comunidades é fundamental competindo-lhes conduzir este processo.
  4. Garantir a continuidade destas celebrações é uma necessidade com a qual todos nos devemos sentir comprometidos. O envolvimento dos jovens nestas celebrações é uma prioridade. Para isso, devemos avançar com novos modelos de comunicação capazes de despertar o interesse das novas gerações. As escolas podem ter um papel fundamental neste processo sendo necessário avançar com o desenvolvimento de novas ferramentas pedagógicas que facilitem esta tarefa.
  5. Os museus também podem ter um papel importante na difusão deste património, tanto junto das escolas e público juvenil, como, entre o público em geral. Facilitam também a dessazonalização das celebrações e têm um papel essencial no incremento da actividade turística. Trabalhar a programação, os discursos museológicos e museográficos e os programas públicos, deve ser uma prioridade e objecto de estudo de todos os implicados na sua gestão. A Rede Europeia pode desempenhar um papel importante na promoção da inovação e no desenvolvimento de ações conjuntas neste domínio.
  6. O turismo é um elemento inseparável das celebrações. A atividade turística tornou-se um elemento presente da nossa vida social. Por outro lado, a repercussão económica nos territórios tornou-se num vector imprescindível para muitas delas.
  7. Há, portanto, um diálogo permanente entre turismo e celebrações que precisa ser estudado e analisado de forma detalhada. Avançar no estudo e investigação deste processo pode ser uma das linhas a desenvolver pela Rede Europeia.
  8. É necessário assegurar a correcta salvaguarda deste património, e analisar em profundidade as mudanças ou condicionantes que o turismo pode gerar nelas. Há alguns aspetos que precisam ser analisados e estudados em profundidade, como a dessazonalização das celebrações, mercantilização ou espetacularização das mesmas.
  9. A declaração da Rede Europeia das Celebrações da Semana Santa e Páscoa pode ser um impulso para a divulgação e salvaguarda deste património. Da mesma forma, esta declaração pode permitir um melhor conhecimento destes rituais por parte da população europeia, dar um contributo para a promoção de modelos de turismo mais sustentáveis e uma garantia para a construção do futuro dos mesmos.

 

 

Aprofundar a dimensão europeia da Semana Santa

 

As celebrações da Semana Santa e Páscoa são, sem dúvida, uma das manifestações mais ricas da religiosidade popular na Europa. A sua ampla difusão, a variedade de rituais e manifestações e a participação social que geram, configuram-nas como um dos elementos de maior interesse científico, cultural e social.

 

A Rede Europeia de Celebrações da Semana Santa e Páscoa trabalha incessantemente para contribuir para a conservação e divulgação deste rico património. Para isso, é necessário levar a cabo um processo de estudo e pesquisa das mesmas, contribuindo assim para um melhor conhecimento destes complexos processos culturais e das suas comunidades.

 

O principal objetivo deste congresso foi aprofundar a dimensão europeia deste património comum, mas diversificado, mostrando uma visão de como são as celebrações e o que representam atualmente no continente europeu, contribuindo para um melhor conhecimento das mesmas e, com isso, para a sua preservação.

 

 

Mais sobre a Rede Europeia

 

A Rede Europeia de Celebrações da Semana Santa e Páscoa foi criada em 2019 e dela fazem parte da Fundação Italiana Federico II, representando os municípios de Palermo e Caltanissetta, da Sicília, Itália; o município de Birgu, em Malta; a Comissão de Quaresma e Celebrações da Semana Santa, em Braga, Portugal; as representações da Paixão de Cristo em Skofja Loka, Eslovénia; os municípios que fazem parte da rota Caminos de Pasión: Alcalá la Real em Jaén, Baena, Cabra, Lucena, Priego de Córdoba e Puente Genil em Córdoba e Carmona, Écija Osuna e Utrera em Sevilha. Também dentro da geografia espanhola encontramos Orihuela em Alicante; Lorca em Múrcia e Viveiro em Lugo.

 

Esta Rede tem como objetivo promover e divulgar o património cultural, tanto material como imaterial, relacionado com as comemorações da Semana Santa e da Páscoa, através de ações que valorizem este património, promovam o desenvolvimento turístico sustentável e contribuam para a salvaguarda do património imaterial através de trabalhos científicos e de investigação. Da mesma forma, o seu principal objetivo é unir forças e sinergias para consolidar um modelo de estudo, salvaguarda e divulgação do património das tradições da Semana Santa e da Páscoa na Europa.

 

 

Site do Congresso Europeu: https://holyweekconference.eu/es/

Apresentado o programa 2023

Decorreu hoje, 14 de fevereiro de 2023, na Sé Catedral de Braga, a apresentação pública do programa da Semana Santa para este ano.

 

Transcreve-se em seguida a alocução proferida pelo Presidente da Comissão da Quaresma e Solenidades da Semana Santa de Braga, cónego Avelino Marques Amorim:

 

“Tornamos hoje público, nesta conferência de imprensa, o programa das celebrações da Quaresma, Semana Santa e Páscoa em Braga, a mais antiga e significativa celebração da Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo em Portugal.

 

Fazendo parte há um ano passado do Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial, sendo membro fundador da Rede Europeia de Celebrações da Semana Santa e Páscoa, tendo sido declarada de Interesse para o Turismo pelo Turismo de Portugal, com Medalha Municipal de Mérito, Grau Ouro, sentimos no seio da Comissão da Quaresma e Solenidades da Semana Santa de Braga, a responsabilidade acrescida de sermos justos e gratos ao património religioso e cultural herdado, assim como de abrir caminhos de futuro com a dignidade que a Semana Santa em Braga nos merece.

 

Assim, as celebrações da Catedral, o Lausperene Quaresmal, as procissões e expressões da fé, continuam a merecer a primeira atenção, como celebração dos mistérios da Paixão da Morte e da Ressurreição do Senhor. A partir daqui, procuramos construir um programa cultural e de dinamização local, que predispõe e prepara convenientemente todos e cada um daqueles momentos.

 

Como podem verificar pelo material disponibilizado, em suporte material e informático, voltamos a apresentar um programa vasto e de excelência, quer nos concertos realizados – e permitam que sublinhe o grande concerto de terça feira santa na Sé Catedral, pela Orquestra e Coro do Distrito de Braga com a Paixão Segundo São Lucas do compositor bracarense Joaquim dos Santos. Há também todo um leque diversificado de manifestações religiosas, de práticas devocionais, de eventos culturais, e de animação local, que nos permitirão vivenciar, de forma intensa e profunda, a Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo.

 

E porque as celebrações em Braga são já um referencial, quisemos este ano acrescer o nosso contributo em três grandes áreas: participação das gerações jovens; iniciativas de inclusão social; e expressões contemporâneas de arte.

 

Relativamente ás gerações mais jovens, sublinho o 2º Concurso Escolar “A Semana Santa de Braga” para as escolas do ensino básico; a participação dos colégios na procissão de sexta feira santa; a animação de rua pela Associação Project’Art. Ainda na juventude, mas também na área da inclusão social, contamos com a colaboração do Projecto Homem que, além da exposição comemorativa dos seus 31 anos em Braga, organizará Workshops de Circo abertos à comunidade, o Espetáculo CoolEaster, através dos projetos Equilibrium Social Circus e CoolTour.

 

No que concerne a novas expressões artísticas, mais contemporâneas, serão realizadas oficinas artísticas sobre o património imaterial da Semana Santa de Braga, que incluirão uma Open Call para recolha de materiais, experiências, depoimentos e oficinas inter-geracionais, onde as pessoas poderão partilhar as suas vivências da Semana Santa, e que depois resultarão na montagem de uma instalação final a apresentar no CIMMB (Palácio do Raio).

 

Estes contributos fundamentam-se não apenas em novas áreas de intervenção, mas também num contributo efetivo para a candidatura da Rede Europeia a Itinerário Cultural do Conselho Europeu, reconhecimento que esperamos para breve, e que necessitam de um incremento efetivo nestas mesmas áreas.

 

Concluindo, a Quaresma, Semana Santa e Páscoa de Braga assumem uma importância já de todo reconhecida para a cidade e para a região, pelo impacto turístico, económico e social que tem proporcionado. Tudo isto em consonância com o impacto religioso e espiritual, pela forma como nos permitem viver e celebrar este período central da fé e da liturgia cristãs. Um programa só possível graças ao contributo e empenho das instituições promotoras, dos parceiros que nos apoiam, e da participação de tantas pessoas que nos oferecem a sua colaboração. Em nome da Comissão da Quaresma e Solenidades da Semana Santa de Braga a todos o nosso muito obrigado, nomeadamente aos órgãos de comunicação social que se tornam imprescindíveis na divulgação. Muito Obrigado!”